terça-feira, 6 de março de 2012

Teleortodontia: ferramenta de auxílio à prática clínica e à educação continuada

Autores: André Luciano Pasinato da Costa*, Alcion Alves Silva**, Cléber Bidegain Pereira***

* Mestre em Biologia Celular e Molecular pela PUCRS. Especialista em Ortodontia pela Universidade Cruzeiro do Sul.
** Doutor em Odontologia pela Universidade Federal do Rio de Janeiro. Mestre em Ortodontia pela Universidade Camilo Castelo Branco.
*** Especialista em Ortodontia pelo Conselho Federal de Odontologia.


.:.

A Tecnologia da Informação (TI) tem provocado mudanças nas relações interpessoais. Numa sociedade globalizada, interconectada eletronicamente e sem fronteiras, o exercício à distância das profissões está entre as novas experiências.

O desenvolvimento de programas de comunicação, associado à construção de computadores mais avançados, tem permitido a transmissão de informações de modo rápido e eficiente. Esse novo contexto tornou possível exercer à distância as profissões da área da saúde, um conceito denominado telessaúde.

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), telessaúde (telemedicina, teleodontologia, etc.) é a provisão de serviços associados aos cuidados com a saúde, nos casos em que a distância é um fator crítico. Tais serviços podem ser providos por meio do uso de tecnologias de comunicação, com os objetivos de educação continuada ou troca de informações necessárias para diagnosticar, tratar, prognosticar e prevenir doenças.


Interação entre tecnologias para formar uma rede

Não obstante o atual estágio da ciência, para o desenvolvimento dos serviços de telessaúde é necessário o uso racional das tecnologias disponíveis. Atualmente, estão em progresso inúmeros projetos para o desenvolvimento de redes de assistência à distância. Entretanto, a maioria utiliza programas de computador próprios, fato que os torna onerosos e restritos — por esse motivo são subsidiados por agências governamentais, dificultando a sua difusão.

Nesse contexto, a Ortodontia como especialidade procura avançar na utilização de ferramentas de telessaúde, visando ampliar e modificar o mercado no que tange à assistência primária ao paciente, acesso a uma segunda opinião profissional e educação à distância.

A revisão da literatura presente no artigo abordou os seguintes temas: banda larga, telefonia móvel, fotografia digital e websites.



Validação da Teleortodontia

Experiências realizadas por várias instituições demonstram as oportunidades para o campo da teleortodontia. Os resultados do estudo comparativo desenvolvido entre as clínicas Yakima Valley Farm Workers Clinic e Odessa Brown Children’s Clinic (Washington) não demonstraram diferenças significativas entre os grupos após o tratamento clínico e o uso da teleortodontia. Segundo esse estudo, os desfechos dos casos tratados à distância sugerem a validade clínica da técnica.


Por fim, cabe observar que não é somente o desenvolvimento da tecnologia computacional (hardware e software) que fará a consolidação da teleortodontia. Essa nova realidade também altera o contexto das relações sociais, abrindo um vasto campo de questões éticas, morais, legais e econômicas.


.:.


Artigo completo em PDF: http://www.scielo.br/pdf/dpjo/v16n6/a03v16n6.pdf

4 comentários:

Dr. Daniel Savi Melara disse...

Excelente artigo, li-o recentemente em uma pesquisa para escrever sobre telessaúde. Tenho seguido o Bueno Ortodontia e tem sido uma grande ajuda para meu blog, ainda estou começando mas essa experiência é muito boa. Parabéns!!!

Anônimo disse...

Gostei muito da inovação0 do tema. Trata-se do primeiro artigo a sugerir o termo teleortodontia na literatura brasileira. Excelente, autores muito contemporaneos com as tendencias do mercado.

Anônimo disse...

Gostaria de ler mais sobre a abordagem destes autores, por favor insiram novos posts.

Anônimo disse...

Autores visionários, discutem um assunto antes de entrar em pauta na comunidade acadêmica. Parabéns. Andréa Quadrs

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...