sábado, 8 de outubro de 2011

Comece por você


Não gosto de textos póstumos, isto é, que homenageiam pessoas que já se foram e para quem não se pôde dizer o que se sente ou o que se pensa, já que o ponteiro do relógio foi mais rápido do que os dedos. Este é uma exceção.

.:.

Assim como aprendemos com os erros dos outros, sentimentos e posturas também podem (e devem) ser aprendidos com que acontece (ou aconteceu) com as outras pessoas. Estejam elas vivas ou, infelizmente, mortas.

O mundo sentiu mesmo sua perda? Ou somos apenas gratos por tudo o que a “maçã” nos proporcionou e proporciona?
 
S.J. foi um homem a frente do seu tempo. Das pessoas do seu tempo. Só que não foi o primeiro e nem será o último. O que ele fez que o torna diferente?

A minha percepção diz que ele começou, num certo momento, a pensar diferente... a falar diferente... e passou a acreditar no que ele pensava e falava. Sejamos assim também?

Não há razão para não seguir o seu coração. Lembrar que você vai morrer é a melhor maneira que eu conheço para evitar a armadilha de pensar que você tem algo a perder. Você já está nu. Não há razão para não seguir seu coração." 
(S. J.)

Convergente à essa idéia está uma reportagem que fala sobre a conquista. E ela diz que essa deve começar por você mesmo. Conquiste-se. Pense, assim como sente, fale como pensa e faça o que falar... difícil? Então comece.

A morte é sim fascinante, mas não há nada como viver.

ps: não gosto de maçãs.

.:.

George Nunes Bueno
Especialista e Mestrando em Ortodontia (UERJ)


Referências:

Um comentário:

Vinícius disse...

Acabou que eu não entendi se você estava falando bem ou mal do tio Steve... rsrsrs... mas sempre acho positiva qualquer citação do discurso que ele fez em Stanford.

É como já dissemos um dia "ah, quanta gente que sofre por medo da morte sem se importar com a vida que levam ou com o que carregam pro lado de lá"

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...